Chupetas – Tudo o que você precisa saber

Captura de Tela 2014-06-01 às 22.17.15

 

Olá Doutora, tudo bem? Aqui em casa estamos passando pela fase das chupetas: A Duda que eu estou querendo oferecer porque ela anda muito chorona e a Cacau que eu estou tentando tirar e nesse rolo todo tenho me deparado com várias dúvidas…  Por exemplo, se a chupeta é tāo ruim assim como falam, por que as crianças ficam tão mais calmas com ela?

Olá Carla, primeiramente essa temática de chupeta é bastante debatida e muitas vezes escutamos diversas opiniões,  a decisão de introduzir ou não chupeta é da família, mas cabe a nós profissionais da saúde oferecer dados sobre os prós e contras para que tomem uma decisão informada a esse respeito, mas de qualquer jeito você fez um ótimo questionamento.

Para entender o porquê disso temos que saber que as crianças nascem com alguns reflexos para se adaptarem ao mundo, como por exemplo o reflexo de  sucção.  A sucção já se inicia entre a 17ª e a 24ª semanas de gestação, por isso que muitas mães contam que desde a barriga já viram o filhote chupando o dedo.

Associado a isso, no primeiro ano temos a primeira etapa do desenvolvimento psicológico, a qual chamamos de fase oral,  quando a satisfação de prazeres gira em torno da boca. Portanto, sugar supre as necessidades nutricionais e emocionais do recém-nascido, sendo que essa necessidade de sucção normalmente vai diminuindo no final do primeiro ano de vida, que é quando acaba essa fase e a criança passa para a próxima fase de desenvolvimento.

Resumindo, as crianças não sugam apenas porque estão com fome, mas também porque sentem prazer nesse ato  e quando oferecemos a chupeta a tensão criada por essa vontade de sugar desaparece e por isso que a criança acaba se acalmando.

 

Mas então se de fato as chupetas acalmam as crianças por suprir esse prazer de sugar,  por que dizem que é ruim? 

Pois é, o que acontece é que na hora de colocar na balança e comparar os pontos positivos e negativos, os pontos negativos na maioria das vezes acabam superando os positivos.  No entanto tudo isso depende da duração, da frequência e da intensidade do hábito, além também da posição em que a chupeta é mantida e principalmente da idade em que a criança deixa a chupeta.

Ou seja, podemos reduzir a maioria dos pontos negativos se seguirmos as orientações e usarmos de forma adequada.

 

 E quais seriam então os pontos negativos e os riscos de usar chupeta? 

Vou citar os motivos para você, dividimos em alguns tópicos:

No quesito Segurança:

  • Risco da criança engasgar, sufocar e se estrangular  com partes da chupeta que podem se desprender ou por fitas/prendedores que são amarradas nas chupetas.
  • Risco de lesão na boca ou região do nariz devido partes da chupeta ou quando as crianças caem com elas na boca.

 

No quesito Infecção:

  • Crianças que chupam chupeta apresentam maior risco de terem episódios de infecção no ouvido (otite). Além do incomodo dos episódios, esses podem ser frequentes e isso pode levar à perda auditiva, afetando consequentemente a aquisição da fala e impedindo que a criança se desenvolva adequadamente.
  • Aumentam o risco de candidíase oral (o famoso sapinho), verminoses e cáries dentárias (risco 2 vezes maior), já que como qualquer outro objeto levado à boca, a chupeta pode  carregar bactérias e fungos nos bicos.

 

No quesito Desenvolvimento

  • Podem alterar o âmbito da amamentação, tendo sido apontada como responsável pela menor duração do aleitamento materno.
  • Alteram os dentes e o desenvolvimento da cavidade oral.

 

Quando você fala que o uso de chupeta pode afetar os dentes e a boca, o que exatamente altera? 

Caso o uso for indevido a chupeta pode levar ao que chamamos de mordida aberta,  mordida cruzada posterior e também alterações faciais. Veja em fotos para entender melhor:


chupeta 3     chupeta

 

 

 

 

 

chupeta2

 

 

 

 

Mas e aqueles modelos ortodônticos que surgiram no mercado não resolveram esses problemas? 

Muito bem observado, na verdade o ideal seria chamá-los de anatômicos, pois seguem um pouco mais o formato da boca, mas o que os estudos mostraram é que não resolvem de todo o problema, só apontaram ser um pouco melhor em relação ao modelo anterior. Enfim, infelizmente não é só porque é anatômica/ortodôntica que não terá as conseqüências que citei acima.

Chupeta ortodontica

Chupeta ortodôntica a esquerda

 

Você disse que existem pontos positivos em chupar chupeta, quais seriam eles? 

Existem sim algumas situações em que o uso da chupeta já demonstrou ser benéfico, como por exemplo para estimular a sucção de crianças com problemas neurológicos, para os prematuros (os que nasceram antes do tempo) ajudando a estimular a alimentação por boca e também são aliadas para reduzir o estresse e a dor em procedimentos médicos.

Além disso como já citei, a chupeta acaba sendo uma satisfação e bem estar para as crianças, principalmente para as que não mamam no seio, associado ao fato de que muitas mães também acabam ficando menos estressadas com isso e baixam o nível de estresse ajudando a aumentar a produção de leite, garantindo o aleitamento materno e tornando a maternidade mais leve e prazerosa.

 

Qual seria então a idade esperada para largar esse hábito de usar chupeta? 

Idealmente temos que suspender o uso da chupeta antes dos dois anos de idade, a partir dessa idade os efeitos deletérios do uso da chupeta vão crescendo exponencialmente. Quanto antes melhor! Afinal, a partir de um ano a fase oral acaba, e a chupeta torna-se mais um hábito do que necessidade;

Lembrando que também não adianta retirar antes dos 2 anos se  a frequência, posição e intensidade de uso previamente forem inadequadas.

 

Lembrei que uma vez ouvi uma história de que chupeta diminui o risco de morte súbita dos bebês, é verdade? 

Existe sim alguns estudos que demonstraram uma redução no índice de morte súbita em bebês que utilizavam chupeta, no entanto também apontaram que a amamentação reduz o risco de morte súbita em 50% em todas as idades, e como a chupeta pode favorecer o desmame deve-se pensar com cautela antes de incentivar o uso da chupeta por conta disso, já que os benefícios maiores podem ser obtidos com a amamentação.

Ainda assim, dormir de barriga para cima, deixar o berço sem muitas almofadas nas laterais e não ter fumantes em casa são grandes e comprovadas medidas para prevenir a morte súbita dos bebês.

 

Também escutei a mesma coisa sobre reduzir o refluxo, é verdade? 

O uso da chupeta já foi levantado como método capaz de reduzir o refluxo gastroesofágico, no entanto em uma revisão não foi  encontrada evidência de que ela melhore o tempo total ou diminua o número de episódios de refluxo, não sendo portanto indicação para usar chupeta.

 

 E se ela começar a chupar o dedo, o que eu faço? É melhor chupeta ou o dedo? 

Primeiro de tudo é importante diferenciar se ela está de fato chupando o dedo ou só colocando a mão na boca. Como disse, no primeiro ano de vida temos a “Fase oral” e tudo que a criança quer é colocar as coisas na boca. Nessa fase  não só podemos como devemos deixar, pois é por esse meio que ela entra em contato com o mundo externo e explora o ambiente ao redor dela, estimulando os sentidos e o desenvolvimento.

No entanto se você notar que de fato a criança está chupando o dedo, se por exemplo colocar um dedo na boca e outro no nariz apoiando (por maaais fooofo que você ache) devemos o quanto antes tentar tirar esse hábito.

E nessas horas podemos até mesmo trocar o dedo pela chupeta, pois os efeitos negativos do dedo no desenvolvimento dos dentes e da cavidade da boca são piores do que a chupeta (apesar do tema ser controverso).  Mas uma coisa é fato, tirar a chupeta é muito mais fácil do que tirar o dedo rsrs, sendo assim a chupeta as vezes acaba sendo melhor mesmo.

É importante alertar que nessa fase de transição não devemos colocar pimenta, temperos ou qualquer outra coisa no dedo da criança com o objetivo dela parar de chupar, isso pode ser perigoso.

 

Mas se eu der chupeta corro o risco dela não querer mais o peito?

O problema é que pode funcionar como uma bola de neve. Uma vez que as mães das crianças que usam chupeta acabam oferecendo o seio com menor frequência, acaba faltando estímulo para a produção do leite e consequentemente falta leite. Essa situação favorece o desmame, geralmente precoce (antes dos 6 meses).

Outro mecanismo também possivelmente envolvido é o que chamamos de “Confusão de bicos”, ou seja,  como o movimento de chupar a chupeta é diferente de mamar no peito, as vezes as crianças acabam ficando bravas por não conseguirem retirar o leite do seio (já que estão sugando “errado”), rejeitando o peito e consequentemente também favorecendo o desmame precoce.

 

Mas se apesar de saber de tudo isso eu acabar oferecendo para a Duda a chupeta,  qual seria a chupeta ideal? Como deve ser meu cuidado com ela? 

O raciocínio na hora de comprar a chupeta deve ser sempre ligado aos potenciais riscos que a chupeta oferece, então seguindo o que eu comentei devemos:

  • Evitar comprar chupetas que tenham partes que se desprendem (ex: aquelas de strass, ou bolinhas coladas)
  • Evitar colocar aqueles prendedores de chupeta ou colocar fitas ou paninhos amarrados às chupetas (risco de asfixia, além disso pode pesar na boca e aumentar os efeitos negativos nos dentes)
  • Comprar chupetas que tenham forma e tamanho compatíveis com a boca da criança (na embalagem você pode conferir a idade indicada)
  • A porção próxima à base do nariz deve ser recortada, proporcionando um bom vedamento dos lábios e não obstruindo o nariz.
  • Dar preferência aos modelos ortodônticos
  • Preferir os bicos feito de silicone (mostraram menor contaminação do que os de látex)
  • Escolher as chupetas que tenham a base mais vazada possível, para diminuir o risco de contaminação e lesões ao redor da boca, possibilitando a ventilação do local
  • Comprar chupetas Bisfenol free

Exemplos de chupetas adequadas, considerando bico ortodôntico de silicone:

NUK-Chupeta-Genius-Silicone-Azul-0-6-Meses-Nuk-2067-37874-1 Captura de Tela 2015-02-04 às 00.24.57

 

Qual a higiene que eu devo ter com as chupetas? 

Primeiramente devemos lavar, e se possível esterilizar, qualquer objeto infantil antes do primeiro uso.

Nos 6 primeiros meses de vida a esterilização deve ser feita sempre depois de cada utilização, principalmente se cair no chão.

Após  os 6 meses podemos diminuir para apenas uma vez por dia, porém ainda sendo recomendado se possível após cada utilização.

Os bicos devem ser trocados em geral a cada dois meses, no máximo três meses ou quando observar sinais de deterioração.

 

Como faço para esterilizar os bicos?

Já existem no mercado aparelhos que fazem especificamente esse serviço, mas o bom e velho fogão pode dar conta  do recado. Em uma panela acrescente água a ponte de que todas as peças estejam submersas na água, deixe ferver por 5 a 10 minutos. Retire com cuidado e deixe-as secar sozinha, nao enxugando com toalhas, ou se preferir, escolha toalhas apenas para esse uso. Após estarem secos, guarde-os em um recipiente fechado.

Lembrando que limpeza e esterilização são procedimentos diferentes. A limpeza ajuda na remoção de sujeiras, enquanto que esterilização refere-se à eliminação de bactérias e germes.

 

E agora com a Cacau como eu faço para tirar? 

Existem diversas técnicas de retirada de chupeta e é possível fazer isso de forma tranquila e não traumática para a criança, na próxima semana postarei acerca do assunto, mas já confira aqui algumas dicas de livros que ajudam nesse processo.

 

Muito obrigada Doutora, vamos ver se agora eu me organizo aqui nessa fase de chupetas! 

 

Fontes principais:  Artigo Jornal Pediatria RJ , Artigo Rev. Saúde Pública 

 

Pediatra de profissão, mas principalmente de coração. Formada em medicina pela Faculdade Estadual de Medicina de Marília e em Pediatra pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Membro da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Consultora de Amamentação. ​


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Inscreva-se e receba nossas newsletters!