Repelentes e crianças: O que eu preciso saber

repelente eludicar post

 

Olá Doutora, tudo bem? Tenho passado esses dias muito preocupada por conta dessa epidemia de dengue que está tendo e então surgiram várias dúvidas em relação a repelentes e insetos.

Por exemplo a Duda que tem quatro meses, pode passar repelente? E o Lipe de 5 anos, pode usar o de adulto? 

Olá, realmente esse é um assunto que está deixando as mães preocupadas, e com razão!

Quanto as idades liberadas para o uso de repelentes existe um pouco de controvérsia na literatura, a Sociedade Americana de Pediatria libera o uso de alguns repelentes a partir dos 2 meses de idade, já a Sociedade Brasileira indica a partir dos 6 meses. Isso tudo é explicado pelo fato da pele dos bebês ser muito delicada, podendo absorver as substâncias que tem nos repelentes e provocar reações na pele.

De toda forma, menores de 2 meses não podem ser expostos a repelentes, sendo que até os 6 meses o melhor mesmo são o que chamamos de repelentes físicos e ambientais ou em casos de grande exposição a insetos consulta o pediatra.

O Lipe de 5 anos ainda não poderia usar o de adulto porque o uso desses repelentes só está liberado depois dos 12 anos de idade.

 

O que seria esses repelentes físicos e ambientais? 

Basicamente são medidas para evitar o contato dos insetos com as crianças. Por exemplo:

  • Ter um ambiente com portas e janelas bem vedadas, idealmente com telas.
  • Tentar manter o ambiente refrigerado (ambiente com ar condicionado é bastante eficaz para manter mosquitos afastados)
  • Usar mosquiteiros
  • Usar vestimenta adequada
  • Evitar perfume perfume e lavandas nas crianças (são atrativos aos insetos)
  • Usar inseticidas, quando indicado

 

Você falou do uso de mosquiteiros, existe algum mais recomendado? 

Existe os mosquiteiros simples ou com aplicação de inseticidas (no caso a permetrina 0,5%). A permetrina é altamente recomendada para crianças e segura para gestantes, as telas podem ser usadas como proteção em carrinhos, berços, redes, bebê-conforto, etc existindo até produtos  com o tamanho adequado para cada um deles. Atente-se na hora da compra pois os poros das telas não devem ser maiores que 1,5mm, caso contrário alguns insetos conseguirão passar.

Para quem já possui telas sem a aplicação da permetrina, não tem problema você pode comprar na forma de spray e aplicar nas superfícies e nas roupas, nunca diretamente na pele. 

 

permetrina

 

E os tipos de roupa, o que seria uma roupa adequada? 

O mais recomendado é evitar a exposição da pele, claro que em dias quentes isso fica difícil, mas se possível use meias, blusas de mangas compridas e calças, dando preferência para tecidos claros, evitando cores muito chamativas. O Aedes aegypti, mosquito que transmite a dengue, costuma picar durante o dia e nas pernas e pés, então tome um cuidado extra protejendo essas áreas para evitar a doença.

Alguns repelentes também podem ser aplicados nas roupas, acredita? Alias, já até existe roupas com tecidos especiais que já vêm embebidos com repelentes!

Exemplo de repelente para passar na roupa ou em outros objetos

Repelente para passar na roupa e em outros objetos

 

Mas e na hora de comprar um repelente o que tenho que entender para escolher o melhor para meu filho? 

Existem dois tipos de repelentes: os sintéticos e os naturais, basicamente eles atuam formando uma camada de vapor com um cheiro que repele os insetos. 

Resumidamente, existem 4 tipos de substâncias repelentes:

  • DEET (dietiltoloamida)
  • Icaridina ou KBR 3023
  • IR 3535
  • Óleos naturais

 

DEET: É o mais conhecido no Brasil e quanto maior a concentração da substância, mais longa é a duração da proteção, no Brasil a média de duração é entre 2 a 4 horas, sendo liberados apenas para maiores de 2 anos. 

 repelente eludicar 2 repelente monita eludicar repelente off eludicar

 

Icaridina: Já a icaridina é um novo e promissor repelente que permite reaplicações em intervalos maiores de tempo (10 horas). Além disso, um estudo africano verificou que a potência contra o Aedes aegypti (mosquito causador da dengue) é quase 2 vezes maior em relação ao DEET.  No Brasil existe uma única marca disponível (Exposis).

A boa novidade é que lançaram um gel liberado para maiores de 6 meses, sendo o spray recomendado para crianças acima de dois anos. Segue:

Exposis infantil Gel: para maiores de 6 meses

exposis gel

Exposis infantil spray: para maiores de 2 anos

exposis spray eludicar

IR 3535: Protege por menos tempo que o de Icaridina (Exposis), por cerca de 4 horas e também alguns estudos demonstraram ser menos eficaz na proteção do mosquito da dengue.

No Brasil um dos únicos disponíveis com essa substância é o da Johnsons, indicado para maiores de 6 meses.

repelente johnson eludicar

 

 

Segue abaixo um resumo atualizado (dez/2016) dos repelentes disponíveis no Brasil e o seu tempo de ação e idades permitidas:

tabela repelente

E os óleos naturais?

Os óleos são os mais antigos repelentes conhecidos e diversas plantas já foram utilizadas com tal propósito, com eficácia razoável. No entanto evaporam muito rápido e por isso possuem efeito de curta duração. Lembre-se que o fato de ser natural não quer dizer que o produto não possa produzir irritações ou toxicidade.

 

Como devo aplicar o repelente então?

Segue uma tabelinha com o resumo das principais recomendações na aplicação do repelente nas crianças

Aplicação repelente crianças Post Eludicar

 

E todos esses repelentes são seguros? Corro o risco de intoxicar as crianças? 

Pode ficar despreocupada, mas para evitar problemas tenha alguns cuidados:

  • Antes de comprar qualquer produto certifique que foi liberado pela ANVISA
  • Realize a leitura dos rótulos
  • Guarde a embalagem para acesso fácil no caso de possíveis intoxicações.
  • Verifique a concentração do princípio ativo para se certificar de que é adequada para a idade do seu filho
  • Fique atento para as possíveis reações adversas ao produto, geralmente são leves e incluem basicamente quadros de pele, caso isso ocorra procure atendimento médico para uma avaliação mais cuidadosa

 

E os inseticidas, posso usar? 

Existe um diferença entre inseticidas e repelentes, como o próprio nome diz os repelentes apenas repelem/afastam os insetos, já os inseticidas são substâncias que, além de repelir, matam os insetos. Os inseticidades de spray/aerossóis devem ser usados com cautela, devendo ser aplicados em recintos fechados (de 10 a 20m2) pelo menos duas horas antes de dormir.

As serpentinas (aqueles aparelhinhos de tomada) são inseticidas vaporizados, o ideal é ligar o aparelho quando a criança não estiver no quarto e depois desligá-lo. Se não houver outra saída, deixe o aparelho longe do berço do bebê.

repelente post Eludicar

 

E por exemplo aquelas raquetes, aqueles aparelhos que dão choque no mosquito, pulseirinhas e tudo mais, funcionam?

Apesar de, confesso, amar essa raquetinhas rsrs, até o momento nenhum estudo conseguiu demonstrar a eficácia desses aparelhos, então não são considerados repelentes eficazes sendo recomendadas apenas com medidas complementares.

raquete_mata_mosquito eludicar repelentes post Eludicarpulseiras-repelentes-post eludicarrepelente post eludicar

 

A vitamina B que umonte de gente fala para tomar, também não funciona? 

Seguindo o mesmo raciocínio que expliquei acima, apesar de ser bem conhecido popularmente não há nenhuma evidência que vitamina B (tanto tomada por boca ou na forma de injeção) tenha algum poder repelente.  Acreditava-se que altas concentrações de vitamina B liberariam um odor que espantaria os insetos (a mesma justificativa para preparações com alho e muitas outras), mas sem comprovação de eficácia.

 

Aquele produtos “2 em 1” – Protetor solar com repelente, pode?

Já expliquei aqui acerca de protetor solar e repelente, mas destaco que esses produtos não são recomendados. A associação reduz a eficácia de ambos e como os filtros solares geralmente precisam ser reaplicados em intervalos mais curtos do que repelentes, o uso desses dois produtos juntos podem causar uma toxicidade devido a maiores reaplicações do que o recomendado. Se necessário passar os dois aplicar primeiramente o protetor solar, aguardar a absorção completa do produto pela pele (cerca de 20 minutos) e só depois então aplicar o repelente.

 

É verdade que tem pessoas com maior ou menor resposta ao uso de repelentes? 

É verdade! O que acontece é que alguns fatores podem interferir na eficácia dos repelentes como por exemplo: as substâncias exaladas pela pele de cada indivíduo (ácido lático, suor, CO2), presença de lesões, sexo masculino, idade adulta, ingestão de álcool, clima quente e úmido (para ter uma idéia a cada 10ºC a mais na temperatura pode reduzir o tempo de proteção do repelente em até 50%), fragrâncias florais. O sexo feminino é fator de risco para ineficácia do repelente,  assim como a realização de atividades físicas moderadas.

Por isso que podemos sim dizer que um repelente não protege igualmente todos os seus usuários, mas não que isso seja fator que justifique não se proteger.

 

Muito obrigada Doutora! Vou colocar em prática o que aprendi =) 

 

Fontes: Documento Científico Sociedade Brasileira de PediatriaArtigo Revista Paulista de Pediatria, Folder FMUSP, Recomendações da Academia Americana de Pediatria

 

Pediatra de profissão, mas principalmente de coração. Formada em medicina pela Faculdade Estadual de Medicina de Marília e em Pediatra pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Membro da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Consultora de Amamentação. ​


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Inscreva-se e receba nossas newsletters!