Desfralde: o que eu preciso saber

Captura de Tela 2014-10-14 às 21.10.50

 

Olá Doutora, tudo bem? Hoje eu queria te perguntar sobre desfralde.  O Lipe já está com 2 anos e estou sem saber se já começo ou espero um pouco para tirar a fralda. A Cacau desfraldou com quase 3 anos, mas as mães dos amiguinhos do Lipe aqui do bairro já estão começando e to com medo dele ficar pra trás… 

Olá Carla, tudo bem? Dessa vez vou começar nossa conversa devolvendo a pergunta: Você acha que ELE e vocês estão prontos para tirar a fralda? Faço essa pergunta, pois mais importante que a idade dele, é escolher o momento certo para iniciar e isso depende de vários fatores.

Primeiro: a família deve estar pronta para iniciar esse processo, o desfralde exige atenção, dedicação e paciência. Segundo: deve-se evitar iniciar quando estiverem passando por algum estresse, período turbulento ou de mudanças, como o nascimento de um irmãozinho, mudança de casa ou cidade, falecimento de algum ente querido, etc..E por último e mais importante: devemos observar se o Lipe já está demonstrando sinais de que está pronto para desfraldar.

Mas como ele demonstrará que está pronto para desfraldar? Quais são os sinais?

Então vamos lá, são vários os sinais e precisamos ficar atentos a eles. Vai anotando aí se ele:

  • Já reconhece e avisa quando fez xixi ou cocô? Ou melhor ainda, avisa que está com vontade de fazer? Esse é um dos sinais mais importantes!
  •  Demonstra interesse em usar o penico ou vaso sanitário?
  • Demonstra interesse em usar cueca/calcinha?
  • Não se assusta com a descarga?  (É normal assustar um pouco no começo, mas é preciso mostrar que não é nada, que a descarga não vai machucá-lo.)
  • Já começou a apresentar horários regulares para fazer cocô e fica períodos mais longos com a fralda seca?
  • Apresenta mudanças no comportamento quando ele está fazendo cocô ou xixi? Por exemplo ir para um canto da casa, ficar mais concentrado, fazer força, etc…
  • Entende as palavras envolvidas no contexto do desfralde: cocô, xixi, limpo, sujo, molhado, seco, lavar, sentar, penico, fralda, etc e consegue se expressar de alguma forma?
  • Reconhece alguns sinais físicos de que está com vontade de ir ao banheiro?
  • Consegue se concentrar em alguma tarefa e ficar sentado por algum período de tempo?
  • Dá abertura para iniciar o processo, não demonstrando resistência quando você menciona o assunto?

Se você respondeu que sim para a maioria delas, provavelmente é uma boa hora para iniciar o processo de desfralde. Normalmente consideramos muito cedo começar antes de um ano e meio e tarde após os 3 anos, um bom período portanto seria entre os 18 e 24 meses, mas repito, cada criança é uma criança e temos que respeitar o tempo delas.

Mas se o Lipe ainda não estiver dando esses sinais, entao eu não posso começar o desfralde? 

O importante no desfralde é não ter pressa. Cada criança tem seu ritmo e temos que esperar eles nos mostrarem que é hora. Não ligue para pressão dos outros, o foco é no Lipe. Alguns estudos até relatam que não respeitar a maturação da criança e forçar o desfralde pode aumentar o risco de aparecimento de disfunções no futuro, como persistir fazendo xixi na cama a noite, fazer xixi sem perceber, ter intestino preso, recusar ir ao banheiro, etc..

Entendo, mas como na prática eu faço o desfralde?

Existem diversas técnicas e não existe um jeito certo, o importante é seguir as orientações de uma forma geral e ir adequando a rotina da criança ao desfralde. Antes de efetivamente começar com o processo, existe um período que chamamos de “pré-desfralde”, que é quando a criança começa a demonstrar interesse no assunto, por exemplo começa a perguntar o porquê os adultos vão ao banheiro e não usam fralda, o que é a descarga, o que é cocô, o que é e xixi, começam a falar que querem usar calcinha/cueca etc..

Esse é um bom momento para você começar a explicar sobre o assunto. Por exemplo:

  • Comece fazendo comentários no dia a dia sobre esse processo, explique de forma simples o que é xixi e cocô;
  • Caso se sinta confortável deixe as crianças te acompanharem no banheiro;
  • Leve-as para comprar cueca/calcinhas;
  • Utilize o vocabulário envolvido no processo como molhado, seco, lavar, secar, sujo, limpo, papel higiênico, descarga, penico, vaso/privada, descarga, partes do corpo, etc;
  • Uma observação importante é evitar palavras negativas sobre as eliminações (fedido, feio, nojento, nojo, caca, eca, etc..), mostre desde o início que isso é o funcionamento normal do corpo e não algo errado ou vergonhoso, se assim o fizer a criança pode desenvolver muita vergonha em relação as eliminações podendo ser bem difícil o desfralde e até mesmo evoluir para prisão de ventre no futuro;
  • Nessa fase leia livros sobre o assunto, pode ajudar bastante!
  • Comprar um penico ou redutor de assento apenas para ele ir se familiarizando com os objetos também ajuda;
  • Já aproveite a situação para estimular a higiene e explicar que sempre depois de ir ao banheiro deve-se lavar aos mãos.

Enfim, quando vocês acharem que é hora de iniciar, deixe a criança com roupas mais leves e fáceis de por e tirar, evitando roupas que sejam de difícil manuseio (jeans, macacões, muito apertadas, cheias de botões, etc..), por conta disso que muitos preferem realizar o desfralde no verão. Ao longo do dia você pode sugerir que ele vá ao banheiro, porém o mais importante é você demonstrar QUANDO é hora de ir, mostrando e alertando os sinais de vontade de ir ao banheiro. Aos poucos ele vai conseguir fazer a associação entre os sinais e as eliminações e, assim, conseguir desfraldar. Muitas crianças não gostam de parar as brincadeiras para ir ao banheiro, portanto caso perceba que eles estão cruzando as pernas, segurando xixi/cocô, sugira “será que não está com vontade de ir para o banheiro? Pare um pouquinho e depois você volta a brincar”.

Não se esqueça de comunicar a escola/creche que você iniciará o processo, é importante que vocês estejam em sintonia nesse momento, senão a criança fica confusa e não entende a logística.

 

Entendi… E já que você comentou,  o que eu devo comprar para esse período então? Vejo tantas coisas para vender.

Não é necessário muita coisa, o que a criança realmente precisa é de apenas um penico ou um redutor de assento da privada e calcinhas/cuecas. Porém, como citei, nessa fase as crianças aprendem brincando e, para tanto, existem diversos produtos (post próxima semana) e livros que ensinam e as ajudam a se familiarizar com o que está acontecendo.

E o que é melhor, redutor de assento ou penico? 

Não existe um melhor que o outro, ambos tem seus pontos positivos e negativos, o importante é ver no qual ele fica mais a vontade.

Com o redutor de assento a criança já acostuma a fazer as necessidades no vaso e não precisa passar por uma outra transição (do penico para o vaso). Porém muitas têm medo, acham que vão cair, se assustam com a descarga etc. Caso opte pelo redutor, lembre-se que é necessário um apoio para os pés, para realizarem a força de cocô do jeito ideal.

O penico por sua vez é mais acessível, ele pode tocar, interagir etc. Se optado pelo penico, escolha o que possui o depósito removível para facilitar na limpeza e também deixe-o sempre no banheiro, para associar o banheiro como o local apropriado para fazer as necessidades.

Existem alguns disponíveis no mercado que são 2 em 1, tem até mesmo o 3 em 1 (penico + redutor+ banquinho/apoio)

E eu ensino o Lipe a fazer xixi em pé ou sentado? 

No começo muitas crianças não conseguem diferenciar se vão fazer xixi ou cocô, as vezes falam que querem fazer xixi e sai cocô e as vezes falam que é cocô e sai xixi, e muitas vezes acaba saindo os dois juntos! rsrs Portanto se ele ainda estiver nessa confusão do que é o que, comece ensinando a fazer tudo sentado e depois ensine em pé. Outra coisa que ajuda, tanto para meninos quanto para meninas, é deixar que ele veja a mamãe e o papai fazendo, a criança mesmo vai perceber a diferença entre homem e mulher e essa será uma oportunidade para já explicar e ensinar a fazer. Existe no mercado alguns produtos que ajudam nesse processo também.

Tem alguma coisa que eu NÃO devo fazer?

O mais importante: Mantenha a calma. Esse período é para ser tranquilo, assim como ensinar a falar, a andar, etc… É um momento de aprendizado para a criança e se perder a paciência, brigar, chamar a atenção ou repreender, o processo pode se prolongar, causar traumas e ninguém vai sair ganhando. Até porque se ele perceber que fazer xixi ou cocô fora do lugar te tira do sério, isso pode ser uma forma dele querer chamar sua atenção e aí sim fará fora do lugar.

É importante saber que existirão escapes, que terão acidentes – “ops”,  e que isso faz parte do processo! Eles estão aprendendo e não farão por mal! Quando acontecer, simplesmente limpe com calma e só converse com ele demonstrando que na próxima vez se ele tentar fazer no penico/vaso vai ser mais legal.

E se ele começar a ter problemas como não querer fazer no penico/assento, chorar quando fazer cocô , diminuir a freqüência das eliminações, enfim… o que eu faço?

Alguns problemas costumam acontecer e é normal,  no entanto primeiro comece com tudo isso que conversamos e depois a gente discute sobre essas questões.

Fique tranquila que essa é uma fase boa para ser curtida e não para ficar preocupada ou estressada! É mais uma conquista na vida do que pequeno =)

 

Pediatra de profissão, mas principalmente de coração. Formada em medicina pela Faculdade Estadual de Medicina de Marília e em Pediatra pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Membro da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Consultora de Amamentação. ​


Leave a Reply to Anonymous Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Inscreva-se e receba nossas newsletters!