Tudo sobre: Dermatite Atópica

DA

Olá Dra, tudo bem? Meu filho está com um problema na pele e pesquisando na internet eu acho que ele está com Dermatite Atópica. 

Você poderia me explicar o que é essa Dermatite Atópica (DA)?

Olá Carla, eu gosto de explicar a Dermatite Atópica (DA) fazendo uma analogia com uma casa. O nosso corpo seria a nossa casa e a nossa pele seria as paredes. Nas pessoas que desenvolvem a dermatite atópica (DA) as paredes da casa não estão muito boas, elas são menos resistente e acabam deixando de proteger a casa, levando assim aos sintomas. 

Em palavras mais técnicas, a dermatite atópica (DA) é uma doença crônica (ou seja, ela não tem cura, porém tem controle), que causa uma inflamação da pele, ocorrendo uma perda de água pela pele, levando ao ressecamento e aparecimento de lesões e coceira.

 

Ela pode afetar crianças de qualquer idade? É comum?

Sim, na verdade a DA predomina na infância, para você ter uma idéia 80% dos casos acontece nos primeiros 7 anos de vida, normalmente iniciando nos primeiros 3 meses. Interessante observar que não existe diferença entre sexo e raça.

Os estudos mostram que no Brasil uma em cada 5 crianças tem dermatite atópica e cada dia observam esses números aumentando. 

 

Existe alguma predisposição genética?

Existe sim uma predisposição genética, o que acontece é que como o próprio nome diz a dermatite atópica está relacionada a outras manifestações alérgicas, como asma, rinite, urticária…

Quando os pais possuem história de quadros alérgicos, a probabilidade dos filhos apresentarem também aumenta.  Para você ter uma idéia, se um dos pais possuem algum tipo de doença atópica, o filho apresenta 25% de chance de também desenvolver, se ambos os pais possuem as chances aumentam para mais de 50%.

 

 

 

 

A dermatite atópica é contagiosa?

Assim como as outras doenças atópicas (rinite alérgica, asma, urticária) a DA não é contagiosa, não precisando se preocupar com o risco de transmitir para outras pessoas, esse ponto é muito importante quando falamos sobre as questões emocionais e qualidade de vida envolvidas na doença.

 

Quais são os sintomas da dermatite atópica?

Os paciente com dermatite atópica normalmente apresentam dois principais sintomas:

  • Pele seca
  • Coceira intensa (ou prurido, termo médico que damos a coceira), que normalmente leva a escoriações.

Esses sintomas se apresentam de uma forma diferente dependendo da idade.

+ Nos bebês (3 meses a 2 anos)

  • Surge geralmente entre os 3 e 6 meses de vida. 
  • As lesões se concentram no rosto, nas regiões das bochechas e no couro cabeludo, sendo mais avermelhadas que o resto do corpo.
  • Na maioria das vezes a área das fraldas é poupada, porém pode ocorrer no corpo todo.
  • A coceira nessa idade é intensa.

 

+ Crianças maiores de 2 anos

  • As lesões se concentram principalmente no que chamamos de áreas de “dobras”, por exemplo a região atrás do joelho, na dobra do braço na altura do cotovelo, no pescoço, etc.
  • As lesões nessa faixa etária normalmente deixam a pele mais escura, áspera e seca
  • A pele pode ficar de um aspecto diferente que chamamos de liquenificação.

liquenificaao  

 

Como eu posso ajudar para tratar e controlar a dermatite atópica?


Existem diversos cuidados que devemos ter para evitar uma crise ou até mesmo para controlar os sintomas. Essa é a grande chave do tratamento da dermatite atópica, conseguir criar uma rotina que seja favorável para a pele não perder ainda mais a água e consequentemente ficar ainda mais ressecada.

É importante saber que a DA tem períodos de calmaria e períodos de exacerbação, e nos períodos de calmaria devemos continuar com as medidas, caso contrário aumenta a chance de exacerbar.  

+ A hidratação da pele da criança com dermatite atópica
  • Os hidratantes são a base do tratamento, portanto aplique generosamente e diariamente,
  • Quanto mais hidratada a pele estiver, menor a chance das lesões surgirem.
  • Um erro muito comum é parar de passar o hidratante depois que as lesões melhoram, continue sempre!
  • Aplicar pelo menos duas vezes ao dia, após o banho com a pele ainda úmida e antes de dormir.
  • Dê sempre preferência para hidratantes brancos e com pouco cheiro, existem diversos no mercado, de todos os preços, pergunta ao seu pediatra qual ele recomenda.  Alguns são com o preço mais elevado, porém acabam durando bastante. 

  • Linhas exemplificadas na imagem: Nutratopic Loção Emoliente Hidratante Corporal Infantil, Mustela Stelatopia Dermo-Pediatria Creme Emoliente, Fisiogel loção cremosa , Cold Cream linha Avène, Cetaphil restoraderm, Loção Hidratante Corporal Lipikar La Roche, Cetrilan Loção Hidratante, Dove Baby Loção Hidratante, Hidratante Corporal Intensivo Neutrogena Norwegian Formula. 

    + O banho da criança com dermatite atópica

  • O banho deve ser morno para frio (32 a 34°), rápido (5 a 10 minutos no máximo), sem esfregar a pele e sem usar bucha, para não remover a proteção natural da pele.
  • Os melhores sabonetes são os compostos por “syndets”, pois são menos agressivos à pele. No caso de restrição econômica,  utilize sabonete neutro, sem corante nem fragrâncias. Procure se está escrito Syndet e se o pH é em torno de 5.
  • Não utilize sabonetes antissépticos, óleos de banho e sabonetes de glicerina.
  • Utilize o mínimo necessário de sabonete e em um único banho.
  • Se a pele não estiver suja, limite o uso do sabonete às axilas, região genital, mãos e pés.
  • Feche a torneira durante o banho, para a pele ficar o menor tempo possível em contato com a pele. 
  • Após o banho, secar levemente a pele evitando esfregar a toalha. O hidratante funciona melhor quando aplicado com a pele úmida, até 3 minutos após o banho.
  • Não utilize nenhum outro produto, perfume, remédio caseiro ou substância sem ser a prescrita pelo médico, isso pode irritar ainda mais a pele.
  • Banhos de imersão são menos danosos que os de chuveiro. No caso de imersão, e principalmente nos lactentes, a família deve ser orientada a enxaguar bem a criança com água limpa antes de enxugá-la.
  • Não deixe a criança brincando com sabonetes ou na água ensaboada.

 

+ A escolha e lavagem das roupas da criança com dermatite atópica
  • Roupas novas devem ser lavadas antes do uso.
  • Ao lavar as roupas lave sem amaciante, de preferência lavado com sabão de coco em pó e enxague bem para tirar o máximo dos produtos químicos residuais.
  • Evite deixar as roupas para secar em lugares que possa junta pó.
  • Use roupas leves, 100% algodão, evitando tecidos sintéticos (como nylon, poliéster, lycra, elastano) e lã em contato direto com a pele.
  • Evite ambientes muito quentes, bem como evite agasalhar demais, pois o suor piora o quadro.

+ Lazer da criança com dermatite atópica
  • Após contato com piscina ou água do mar, tomar uma ducha logo após e passar o hidratante em seguida.
  • Piscinas salinizadas tendem a agredir menos, mas não são isentas de cloro.
  • Esportes levam ao suor, que desencadeia crises de coceira, converse com seu pediatra para prescrever um anti-histamínicos não sedante para dias de atividades físicas se muito prurido.  Dermatite atopica eludicar cuidado a crianca 6
+ Higiene e cuidados pessoais da criança com dermatite atópica
  • Mantenha as unhas curtas, para evitar que se machuque quando coçar as lesões. Se o bebê está se arranhando à noite, coloque luvinhas especiais ou até meias nas mãos dele.
  • Use sempre filtro solar.
  • Evite a exposição ao tabagismo.

Para a coceira, tem algum medicamento que possa dar?

ian-boddy-science-photo-librarExistem remédios anti-histamínicos que ajudam para acalmar a coceira, principalmente utilizados para as crianças dormirem melhor, já que muitas vezes elas ficam com o sono agitado por conta disso. Solicite ao seu pediatra um remédio para ajudar.

E se apenas a hidratação e cuidados com a pele não estiver funcionando, existe medicamentos que eu possa usar?

Sim, existem diversos tipos de medicamentos que ajudam no controle da dermatite atópica, como por exemplo os cremes e pomadas a base de corticóides e os imunomoduladores. No entanto apenas o médico pode indicar qual a melhor conduta para cada caso, sendo muito arriscado realizar a auto-medicação.

É importantíssimo seguir as recomendações médicas, já que esse tipo de medicamento pode ter efeitos colaterais prejudiciais, principalmente em crianças pequenas. Aplique o mínimo necessário e só pelo tempo recomendado pelo pediatra.

 

Tem alguma relação com alimentação?

Esse assunto ainda é bastante debatido, portanto o importante é saber que quando isso acontece normalmente é no primeiro ano de vida e essa relação da ingesta de uma alimento com a piora da dermatite atópica deve ser observada com cautela e discutida com o pediatra, pois não devemos retirar da dieta um alimento da criança sem precisa indicação, pois podemos levar a uma deficiência de nutrientes importantes. 

 

Qual o risco que meu filho corre tendo Dermatite Atópica?

As complicações mais frequentes são as infecções virais ou bacterianas, normalmente ocorrem pois a criança devido a coceira faz um ferida e acaba contaminando a área, levando a infecção. 

Sinais de infecção de pele a serem observados incluem o aumento brusco da vermelhidão, “bolhinhas”  preenchidas por pús  ou “bolhinhas” preenchidas por  líquido claro. Qualquer alteração fora do normal, leve ao seu pediatra para ele avaliar. 

 

Existe cura para a dermatite atópica?

Como já citei, a DA apresenta momentos de controle/remissão e momentos de crise/agudização/exacerbação.

Quando a criança cresce a grande maioria pode evoluir para cura espontânea, uma média de 70 a 85% dos casos, algumas pessoas no entanto mantém o quadro na vida adulta.

É verdade que o estresse pode interferir nas crises de coceira e exacerbação da DA?

É verdade. As situações de estresse podem piorar a dermatite, assim como as alterações climáticas com mudanças bruscas de temperatura, calor excessivo (transpiração) e baixa umidade do ar.

É muito comum que paciente com dermatite atópica tenham problemas emocionais, com estresse, frustações, podendo sofrer bullying na escola, etc. Além disso os pais também ficam muito ansiosos e preocupados e a criança pode observar isso e virar uma bola de neve. Não pense duas vezes em pedir ajuda a um psicólogo caso precise e participar de grupos de apoio para pessoas que sofrem de dermatite atópica.

É difícil para o meu filho entender que não pode coçar e que precisa seguir todas essas orientações, existe algum material lúdico que eu possa oferecer a ele para ajudar?

Sim, existe alguns materiais bem legais de algumas organizações, com destaque para a  AADA – Associação de Apoio a Dermatite Atópica. 

 

Obrigada Doutora, vou seguir as recomendações  😉 

Pediatra de profissão, mas principalmente de coração. Formada em medicina pela Faculdade Estadual de Medicina de Marília e em Pediatra pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Membro da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Consultora de Amamentação. ​


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Inscreva-se e receba nossas newsletters!